Modelo hipotético que descreve os principais efeitos fisiológicos do tamanho das partículas na dieta (PS) e da FDN fisicamente efetiva (peNDF) na formação e manutenção de uma esteira ruminal espessa, bem como na regulação do pH ruminal e da cinética da digesta no rúmen de vacas leiteiras (adaptado de Zebeli et al., 2006b);

Símbolos que indicam substratos contidos em cada fração de partículas e microbiota:

barra branca = substratos solúveis,

barra cinza = substratos potencialmente digeríveis, insolúveis,

barra escura = substratos potencialmente não digeríveis,

MO = populações de microbiota no rúmen;

taxas diferentes que mostram alterações nas frações das partículas com o tempo após a alimentação:

kVLP, kLP, kMP = Fração das partículas de P19, P8 e P1.18 da dieta durante a mastigação por ingestão,

krLP, krMP = Fração de partículas de LPRR e MPRR no reticulorumen mastigando durante a ruminação,

kmLP, kmMP = fração de LPRR, partículas de MPRR no reticulorúmen pela atividade da microbiota,

kd = taxa de degradação fracionária de substratos solúveis (por exemplo, açúcares e pectinas) e insolúveis, potencialmente degradáveis ​​(por exemplo, amidos, celulose) contido em diferentes frações de partículas,

kpLP, kpMP, kpFP = taxa de passagem fracionária de partículas (LPO, MPO e FPO) do reticulorumen ao omasum (pressupõe-se que: kpFP> kpMP> kpLP),

kLiquid = taxa de passagem fracionária do rúmen livre líquido fora do reticulorúmen,

λdLP, λdMP, λdFP = taxa de aprisionamento / refluxo de partículas (LPRR, MPRR e FPRR) do ventral para o tapete ruminal dorsal (pressupõe-se que λdLP> λdMP> λdFP),

λvLP, λvMP, λdLP = taxa de sedimentação de partículas (LPRR, MPRR e FPRR) do pool ruminal dorsal para ventral (pressupõe-se que: λvFP> λvMP> λvLP).